Domingo, 17 de Abril de 2005

Sem ti nada sou a não ser miserável…


Vagueando pela cidade descobri,


Algo que me entristeceu e que é lamentável,


Descobri que nada sou sem ti,


Nada sou a não ser miserável…


Descobri que estou sozinha nesta vida,


Que não tenho ninguém para além de ti para me amparar,


Que sem ti a meu lado deambulo pelo mundo perdida…


Por quanto mais tempo irá isto continuar?


Sinto que temos os dias contados na nossa relação,


Isto causa-me tanta insegurança,


Fico sem saber se hei-de desabafar contigo ou não?...


Será que ainda existe alguma esperança? …


Não sei, já não sei nada!


Tornei-me ignorante nos braços da incerteza!


Tornei-me cega por ter a alma tão magoada!


Tornei-me miserável nas garras da tristeza! ...


Nada sou sem ti, sem o teu amor…


Sinto-me tão perdida sem os teus passos para me guiar,


Sinto dentro do meu peito, quase a rebentar, uma tão grande dor,


Quanto mais tempo as minhas forças irão aguentar?


 Sinto-me a desvanecer aos poucos, lentamente,


Sinto-me a morrer à medida que o tempo vai passando,


E a esperança de renascer que vejo, vejo-a no escuro, vagamente…


Mas aqui me mantenho, e com as poucas forças que me restam, vou lutando


Para sobreviver mais um instante,


Mas sinceramente, não sei quando mais tempo consigo andar assim…


Tu para mim és tão importante,


Tu és a própria vida para mim!...


Vem, fica comigo, diz-me que tudo vai melhorar,


Diz-me que vamos ser felizes como fomos no passado,


Diz-me que queres para sempre a meu lado ficar


E eu dir-te-ei (como tenho dito tanta vez) que por mim para sempre serás amado…


Vem, fica, acaba com este meu sofrimento…


Ama-me como um dia me amaste, sem mentiras, sem segredos...


Volta, e acaba de vez com o meu tormento…


Ama-me como se não houvesse amanhã, sem fronteiras, sem medos…


Pois sem ti vagueio sozinha nesta cidade de solidão,


Sem ti percorro a vida sem um porto de abrigo confortável,


Deambulo perdida neste mundo de perdição,


Sem ti não sou nada, a não ser miserável…


 

publicado por anafilipaafonso às 19:37
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Lovejohn a 18 de Abril de 2005 às 00:04
Escreves lindamente o que te vai na alma...como eu percebo o que tu estás a sentir, pois já me aconteceu o mesmo, por isso te digo, estarmos dependentes de alguém não é saudavel, faz-nos sofrer quando não somos correspondidos, liberta-te, e quando existe amor verdadeiro numa relação não há dor, mas sim alegria. Temos de amar e sermos amados, sermos correspondidos, senão não há coração que aguente e a vida é preciosa. Coragem e beijinhos.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

.Julho 2005

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. ...

. Uma Noite Para Comemorar

. Adeus...

. Adeus, nunca te esquecere...

. Esta maldita dor...

. Porque é a vida assim?...

. Sinto tanto a tua falta.....

. ...

. Together Forever

. Com dedicação

.arquivos

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds